Verdades e Mitos do Glúten

Glúten, uma proteína formada pela mistura de gliadina e glutenina, encontradas em sementes de diversos cereais. Conheça as verdades e mitos do glúten.

Todos os alimentos que possuem cereais têm glúten?

Sim. Todos os derivados desses grãos: centeio, triticale, malte, aveia, trigo e cevada, possuem glúten em sua composição, mesmo que em alguns casos seja em pequenas quantidades.

Isso faz parte das verdades e mitos do glúten.

Ou seja, alimentos consumidos no dia a dia que contêm glúten são:

  • Pães;
  • Bolachas;
  • Cerveja;
  • Bolos;
  • Torradas, entre outros.

Intolerância ao glúten (doença celíaca)

glúten

O nome da doença de indivíduos que contém intolerância ao glúten é doença celíaca. Aproximadamente 1% da população mundial possui esse tipo de intolerância, e portanto, não podem ingerir qualquer alimento que haja glúten em sua composição.

O corpo – reagindo anormalmente à ingestão de glúten – libera substâncias como a citosina, esta danificando a parede do intestino delgado, e consequentemente, atrofiando-a.

Essa doença é séria e pode levar à morte. Além disso, ela não tem cura. Esse é um fator importante sobre mitos e verdades sobre o glúten.

Uma pessoa que possua intolerância ao glúten tem como sintoma mais comum a diarreia crônica. Outros sintomas incluem: atraso menstrual, aftas recorrentes, dificuldades no tratamento de anemia e déficit no crescimento.

Para diagnosticar a doença celíaca é necessário realizar um exame de sangue e uma biópsia do intestino.

A solução, caso for apresentada a doença, é cortar todos os alimentos que possuam glúten da vida diária. Nesse caso, o acompanhamento com um médico ou nutricionista é extremamente importante pois deve-se cuidar que o corpo não sinta falta de alguns nutrientes ou outras substâncias que possam comprometer a saúde do mesmo.

Não tenho intolerância ao glúten, mas ele pode fazer mal?

O glúten, como qualquer outro item, se ingerido em excesso pode fazer mal a qualquer um. Isso porque ele atua na diminuição da produção da serotonina, neurotransmissor que atua na melhoria do humor, emoções, memória, comportamento entre outros. Essa diminuição aumenta o quadro de depressão.

Outro fato sobre mitos e verdades do glúten, é que consumir em excesso favorece o surgimento de psoríase – doença de pele – e também de artrite psoriática.

Verdades e mitos do glúten sobre afetar a perda de peso?

É fácil afirmar que cortar o glúten de uma dieta pode sim ajudar na perda de peso, pois como ele está presente em muitos alimentos, se retirado, a abundância de itens possíveis de serem ingeridos diminui drasticamente.

Porém, apesar de afetar o emagrecimento, cortar o glúten de maneira absoluta pode não fazer bem ao corpo. O corte de glúten de forma total só é feito para pessoas com doença celíaca.

  • Os alimentos ricos em glúten fornecem inúmeros benefícios para a saúde, entre eles:
  • Aumento da absorção de vitaminas e minerais;
  • Controlam a glicemia e triglicerídeos;
  • Fortalecem o sistema imunológico; e
  • Melhoram a flora intestinal.

 

A solução pode ser equilibrar a quantidade de glúten na dieta, ou seja, consumir de modo saudável e moderado.

 

Opiniões de especialistas sobre os mitos e verdades do glúten

Com todas as verdades e mitos do glúten esclarecidos, não existe muita diferença nas opiniões dos especialistas. O glúten – como mencionado – só trará males, para quem o consumir em excesso, ou para quem possui intolerância.

O problema geral do glúten é – infelizmente – o consumo em excesso e nas características desses alimentos, que são ricos em carboidratos (entre eles biscoitos, pães, massas). Esse pode ser o motivo o qual alguns especialistas preferem cortar o glúten das dietas, já que ele pode levar a obesidade, doenças cardiovasculares e doenças neurológicas.

O segredo do consumo de glúten é a sua moderação e a ingestão balanceada de proteínas, carboidratos e gordura.

Contudo, alguns estudos provaram que o consumo de glúten pode estar relacionado a problemas, como, por exemplo, enxaqueca, asma, entre outras.

Nesse caso, a diminuição do consumo também é apontada como solução que melhora significativamente os quadros desses males.